Análise da evolução do uso e ocupação do solo na UGRHI-11 e avaliação de cenários futuros em função de processos erosivos e de movimentos de massa utilizando técnicas de geoprocessamento

DOWNLOAD

A Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos n° 11 (UGRHI 11) correspondente à Bacia Hidrográfica do Rio Ribeira de Iguape e Litoral Sul e pequenas bacias litorâneas adjacentes, se localiza ao sul do Estado de São Paulo. Esta unidade apresenta grande diversidade de ambientes terrestres e aquáticos, envolvendo extensas áreas de relevo serrano, com fortes declividades e várzeas encaixadas e um setor composto por planícies costeiras, manguezais, terraços marinhos e fluviais. É uma região sensível não só nos aspectos da biodiversidade, mas também no âmbito dos processos geomorfológicos, pois se trata de ambiente extremamente propício aos desencadeamentos de processos erosivos de todos os tipos, bem como altamente susceptível a escorregamentos de encostas e rolamentos de blocos. O objetivo deste trabalho foi desenvolver possíveis cenários futuros de uso e ocupação do solo, baseando-se na evolução deste uso durante 24 anos (1986 - 2010) e prever cenários para 2025, analisando o crescimento ou regressão das classes de uso e ocupação do solo e considerando nessa evolução temporal a ação de agentes modificadores do terreno. A primeira fase da metodologia foi composta pela elaboração de mapas de suscetibilidade a ero são e movimentos de massa utilizando os métodos RUSLE e Combinação Linear Ponderada, respectivamente. Posteriormente, através de classificação não supervisionada , elaborou-se mapas de uso e ocupação do solo da UGRHI-11 referente a 1986, 1999 e 2010. Através da aplicação das técnicas de Titus e Narayanan, Pfeffer, Ramhstorf e modelo do Intergovernmental Panel on Climate Change, no ArcGIS, calculou-se a vulnerabilidade do Complexo Estuarino-Lagunar de Cananéia-Iguape a um potencial aumento do nível do mar em 2025, 2050 e 2100. Os mapas de uso e ocupação do solo de 1986, 1999 e 2010, aliados aos mapas de suscetibilidade à erosão e movimentos de massa foram utilizados nas Cadeias de Markov, acopladas a um algoritmo de Autômato Celular, no IDRISI Taiga, para a simulação do uso e ocupação do solo da UGRHI-11, em 2025. Na última fase da metodologia, foram avaliadas as classes de uso e ocupação do solo que possivelmente serão afetadas por um evento de máxima preamar, em 2025. Como conclusão, a utilização de diferentes tipos de ferramentas das geotecno logias mostrou-se eficaz e mesmo integrando diferentes "frentes" de trabalho: mapeamento de áreas suscetíveis a movimentos de massa e erosão; mapeamento do uso e cobertura do solo da UGRHI-11 e simulação do cenário de 2025; além do cálculo da vulnerabilidade a um potencial aumento do nível do mar (2025, 2050 e 2100). Foi possível agregar todos estes produtos e elaborar o produto final, a quantificação das áreas das classes de uso e ocupação do solo do Complexo Estuarino-Lagunar de Iguape-Cananéia, em 2025.

Voltar